Queda de Cabelo em Crianças: Entenda as Principais Causas!

Queda de Cabelo em Crianças: Entenda as Principais Causas!

Assim como os adultos, as crianças também sofrem com a queda de cabelo. Quando esta se manifesta, os pais não apenas ficam preocupados, investigando as causas, mas, muitas vezes, ficam também ansiosos quando a criança está exposta a ambientes do seu meio social.

Embora a queda de cabelo em criança seja um sinal de alerta, não há motivo para qualquer desespero. Afinal, a queda de cabelo em criança é comum e pode ser tratada. Para isso, porém, é preciso conhecer suas causas e os tratamentos disponíveis para combater o problema.

Entenda um pouco mais sobre o tema neste artigo!

Por que o cabelo das crianças cai?

Antes de descobrir as causas da queda dos cabelos em crianças, você precisa saber que é normal que caia uma quantidade de até 100 fios por dia.

Trata-se de um processo fisiológico característico do próprio ciclo capilar, que se constitui de crescimento, repouso e queda dos fios. Assim, como o ciclo se repete ao longo da vida, os cabelos sempre cairão, sendo que, em algumas fases da vida, essa condição acaba sendo mais comum, como na fase em que se é bebê, no pós-parto e numa idade já mais avançada. Nesses casos, a queda se dá por fatores hormonais.

Quais as causas da queda do cabelo em criança?

Mas como distinguir, afinal, a queda natural daquela influenciada por outros fatores (internos e externos)?

Recém-nascidos

Os recém-nascidos de até 6 meses perdem cabelo e penugem normalmente. É nessa fase que os folículos capilares entram no período de repouso, ocasionando a queda gradual.

Isso acontece devido à alta concentração de hormônios que o feto recebe da mãe. Após o parto, tanto a mãe quanto o bebê perdem certa quantidade de fios. Outro motivo que ocasiona essa queda é o fato de os bebês ficarem muito tempo deitados. O suor e a tração fazem com que eles percam alguns fios dos lados da cabeça e na nuca.

Transição Alimentar

A transição alimentar da amamentação para comidas sólidas traz mudanças significativas para a vida do bebê.

Se antes ele recebia uma amamentação completa, rica em nutrientes e na dose certa, agora ele terá uma dieta própria, que deve ser acompanhada por um nutricionista. Quando isso não acontece, podem faltar alguns nutrientes importantes para o desenvolvimento da criança.

A longo prazo, essa carência é revelada em leves quedas e falhas no cabelo.

Por essa razão, a alimentação do bebê deve ter a orientação de um profissional, evitando-se, assim, a deficiência de vitaminas importantes. Além disso, faça exames de rotina para prevenir quaisquer fragilidades no desenvolvimento da criança.

Queda transitória

As estações do ano provocam mudanças nos cabelos das crianças. No verão, por exemplo, há uma leve aceleração no crescimento capilar; portanto, durante a primavera e o outono é possível que ocorra uma queda. Esse é um processo transitório e não é muito significativo.

Tração

É fato que as mães gostam de fazer penteados nos filhos, mas é preciso ter atenção nessa hora! Prender o cabelo de modo muito apertado e pentear o cabelo de maneira muito forte pode fragilizar o fio, fazendo com que ele venha a cair posteriormente.

Usados constantemente, adereços como fivelas, ligas, bonés e chapéus também causam queda. Evite deixar os cabelos presos o dia todo; deixe os fios respirarem pelo menos em um turno do dia.

Seborreia

A dermatite seborreica no couro cabeludo é caracterizada pela presença de escamação, coceira e eritema. É um problema comum em crianças, mas vale investigar as causas e tratar.

Bioquímica

A queda de cabelo também pode ser um sinal para uma alteração química que causa alergia a algum alimento, como o glúten do trigo, lactose ou caseína do leite de vaca.

Produtos inadequados

Bebês e crianças devem usar produtos específicos, de acordo com a sua faixa etária. Além disso, os itens precisam ter ingredientes suaves, com porcentagens adequadas de cada componente. Uma das principais informações que devem estar no rótulo é o pH neutro, além de substâncias que tornem o produto hipoalergênico.

Veja como selecionar:

  • bebês até 3 anos — produtos baby, para bebê ou neném;
  • crianças a partir de 3 anos — produtos para crianças, infantis ou kids.

Estresse

Apesar da pouca idade, as crianças também sofrem estresse. Entre as situações que geram medo e ansiedade nas crianças – e que, então, podem provocar o estresse –, estão o processo de separação dos pais e mudança de escola, assim como o fato de ficarem muito tempo isoladas, sem atividades ao ar livre.

Por isso, é importante prezar para que as relações adultas não afetem o desenvolvimento da criança.

Alopecia areata

A queda característica da alopecia areata tem o formato oval e está relacionada a histórico familiar e condições psicológicas, como o estresse. A “peladeira”, como também é conhecida, é uma condição autoimune, em que o próprio sistema imunológico ataca o tecido sadio que forma o pelo.

Queda secundária

Acontece após doenças. A maioria dos casos envolve infecções, dengue, uso de tratamentos para tratar doenças e procedimentos como quimioterapia.

Tricotilomania

O termo refere-se ao distúrbio caracterizado pelos impulsos recorrentes e irresistíveis de retirar os pelos do corpo. Tem relação com o histórico familiar, mas geralmente é causado por estresse e transtornos como TOC, ansiedade e depressão. É mais comum na puberdade.

Deficiência nutricional

Tendo em vista que o nosso organismo precisa de equilíbrio, ter vitaminas demais ou de menos pode alterar o fluxo natural do corpo. Por exemplo, a alta taxa de vitamina A ou a baixa de biotina (H), complexo B e Zinco podem causar a queda capilar. Por isso é importante realizar exames de rotina e pelo menos um check-up a cada ano.

Eflúvio telógeno

Nesse caso, os folículos pilosos param de crescer de forma prematura e entram na fase de repouso. A condição pode estar relacionada a lesões graves, cirurgia com anestesia geral, febre alta demais, morte de ente querido e uso de medicamentos.

Fungos

Por terem imunidade baixa e ficarem expostas a muitas bactérias, as crianças podem adquirir fungos. A condição pode surgir de forma contagiosa, por umidade e por contato com areia, terra e animais.

Como tratar a queda de cabelos infantis?

É importante que os pais fiquem atentos a qualquer modificação anormal na quantidade de cabelos da criança, assim como ao aparecimento de áreas calvas no couro cabeludo.

Ao notar algo estranho, eles devem procurar um especialista em cabelos (tricologista) ou um dermatologista. Quando diagnosticado cedo, o tratamento é mais eficaz, principalmente se a queda de cabelo na criança estiver relacionada a doenças.

Se o seu filho ou filha apresenta algum dos sintomas relatados neste texto, procure a ajuda de um profissional o quanto antes. Entre em contato conosco e agende uma consulta.

Responder

Seu email não será divulgado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.