Mulheres x Finasterida: por que não tomar e a verdade sobre engravidar de um homem que usa

Como se sabe, a calvície é um problema que atinge não apenas os homens, mas também as mulheres. Num contexto global, estima-se que 25% delas sofrerão com a queda acentuada dos cabelos depois dos 30 anos de idade e que outros 50% a terão por volta dos 50 anos de idade, após a menopausa.

finasterida para mulheresE claro que, mesmo atingindo as mulheres em menor número do que os homens, o impacto da perda excessiva de cabelos no público feminino costuma ser muito maior e mais traumático do que no público masculino, pois, além de as madeixas serem uma marca da sua personalidade, as mulheres também as têm como um objeto de sedução.

Apesar de existirem aspectos diferentes entre a calvície feminina e a calvície masculina, há muitas mulheres que acabam buscando para o seu próprio uso alguns dos tratamentos a que os homens aderem no combate à calvície.

E, na maioria das vezes, até mesmo por desconhecerem as causas que estão desencadeando a sua alopecia, o resultado é que, em vez de atenuá-la, elas podem vir a agravá-la, além de provocar reações adversas à sua saúde.

 

 

finasterida propecia mulheres

Atualmente, entre os medicamentos mais utilizados pelos homens para o tratamento da calvície, esta a finasterida, comercializada com os nomes de Proscar, Propecia e Finalop, entre outros. Trata-se de um princípio ativo voltado exclusivamente àqueles cuja calvície é de ordem hereditária, cientificamente chamada de “alopecia androgenética”.

A principal propriedade dessa medicação consiste em inibir a 5-alfa-redutase, uma enzima que converte a testosterona em dihidrotestosterona (DHT), hormônio responsável pela miniaturização dos folículos pilosos. Ou seja: inibindo-se a produção da enzima, diminui-se também a conversão de testosterona em DHT, evitando o enfraquecimento dos fios.

 

luis tricotest consultaOlá, tudo bem? Desculpe interromper a sua leitura!
Eu sou o Luis, gerente aqui da Clínica Tricosalus, e estou passando para convidá-lo(a) a conhecer o Tricotest – nosso exame de análise capilar.
Clique aqui e assista ao vídeo.

 

Assim como no público masculino, a herança genética da calvície também é determinante no público feminino. No entanto, apesar de a hereditariedade ser um elemento comum a ambos, o uso da finasterida não é recomendado para as mulheres em idade fértil, pois a absorção do remédio por mulheres grávidas pode provocar a má formação no feto do sexo masculino (anormalidades na genitália externa, feminização).

Mesmo em mulheres que já tenham dado à luz e que estejam apenas amamentando, o risco permanece, já que a finasterida pode estar presente no leite materno.

Engravidar de um homem que usa finasterida é um risco à formação do feto?

finasterida na gravidezMuitas mulheres ficam extremamente preocupadas quanto à possibilidade de engravidar do parceiro sexual que utiliza esse medicamento, pela possibilidade de efeitos indesejáveis. Essa preocupação advém do fato de que a finasterida é encontrada no sêmen de pacientes que utilizam a medicação.

Mesmo que em quantidades minimas, ela teoricamente poderia entrar na corrente sanguínea da mãe por meio da absorção da mucosa vaginal apos a relação sexual. Desta forma, mesmo não tomando a medicação, a mulher e – portanto – o feto estariam expostos à medicação.

Mesmo que seja uma possibilidade muito pequena e que não haja registros de consequências em filhos de pais que utilizam a finasterida, a orientação é para que se suspenda a medicação durante a gravidez.

“Os meus cabelos estão caindo muito! O que devo fazer, então?”

Na dúvida sobre como combater a calvície, a primeira coisa a ser feita é o agendamento da consulta com o médico da área, que é o dermatologista/tricologista, do qual a Tricosalus Clinics dispõe, contando com uma equipe de atendimento altamente qualificada. Somente o especialista será capaz de realizar uma correta avaliação do caso, verificando se há ou não a necessidade de solicitação de exames, diagnosticando o que está originando a excessiva perda de cabelo.

Portanto, nada de se automedicar!

Com o diagnóstico preciso, é o dermatologista/tricologista quem poderá indicar o tratamento mais adequado à paciente, cujos fios podem estar caindo em decorrência de disfunções hormonais, devido à deficiência de vitaminas ou, entre outras possibilidades, até mesmo devido às químicas aplicadas no cabelo.

Responder

Seu email não será divulgado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.