“Eu comprovei que a Calvície tem cura. Estou muito feliz!”

Calvície tem cura e a marcela comprovaMeu cabelo começou a cair aos 12 anos de idade, logo apos uma cirurgia de apendicite. Foi minha mãe quem notou: eu era novinha e, como não era muito visível, eu mal percebia. Já aos 16, com o falecimento do meu pai, fiquei muito abalada emocionalmente e hoje percebo que isso colaborou para minha queda de cabelo, que só aumentou desde então. Ele não caía aos montes, era mais a sensação de ele ir minguando, de não ganhar comprimento.

Sou vaidosa e sempre achei lindo o cabelo longo. Foi nessa epoca que resolvi dar um jeito na situação e adotei o Mega Hair.

Tinha 16 anos e nunca mais consegui ficar sem o Mega Hair. O problema é que, ainda que ele melhorasse muito minha autoestima, doía bastante nos primeiros dias e, com o passar do tempo, comecei a observar as mulheres que usavam o mesmo método e cheguei à conclusão de que não era bonito. De qualquer jeito, o volume que ele proporcionava me fazia bem, e comecei a tingir meu cabelo de loiro, acreditando que isso cobria as falhas e a falta de cabelo no couro cabeludo.

Procurei os melhores profissionais da área de Mega Hair, em busca do máximo de discrição. O pior é que eu comecei a ter pavor de entrar na piscina ou no mar, com medo de molhar o cabelo e ficar claro que era Mega Hair. É claro que, mesmo seco, dava pra perceber, mas era menos óbvio. Sofria muito com isso tudo.

 

luis tricotest consultaOlá, tudo bem? Desculpe interromper a sua leitura!
Eu sou o Luis, gerente aqui da Clínica Tricosalus, e estou passando para convidá-lo(a) a conhecer o Tricotest – nosso exame de análise capilar.
Clique aqui e assista ao vídeo.

 

Isso começou a afetar minha personalidade. Desenvolvi uma enorme timidez, não queria mais ir a lugares muito iluminados, já que dava pra notar as falhas no meu cabelo. Não deixava que as pessoas se aproximassem: quem conversava comigo olhava para os meus cabelos e não meus olhos. Pensei muitas vezes em não sair mais de casa, passar o dia na cama, dormir pra sempre. Mas eu ainda sonhava, e isso me tirava da cama. Tenho 26 anos, sou atriz e sonho com uma carreira profissional. Mas é muito difícil pra eu ouvir o “luz, câmera, ação”.

Quando o set se acende e o diretor diz “ação”, eu congelo. Fico insegura e não consigo mostrar meu melhor. Começo a imaginar que estão todos olhando minha cabeça. É uma dor enorme, vontade de desistir e me trancar longe de tudo. Acabei por mudar de emprego, trabalhando como hostess em uma pizzaria de um amigo. Foi lá que tive a felicidade de reencontrar os donos da Tricosalus Clinics.

No passado, cheguei a achar que o método CNC era mais uma ilusão criada pela propaganda, que seria mais um fracasso na minha luta contra a calvície. Mas esse reencontro, aliado ao incentivo de meu namorado, fez com que eu marcasse uma nova consulta, que seria uma decisão libertadora.

Hoje encontrei a cura que tanto busquei: a cura da calvície. Eu já havia desistido, achei que nunca teria um cabelo normal, como quando era criança. Mas ao conhecer o CNC, reacendi minhas esperanças e descobri que a calvície, masculina ou feminina, tem cura. E quero compartilhar com todos, essa notícia que mudou minha vida.

Se você se identifica com meu depoimento, e sofre com a queda de cabelos, conheça o método CNC. Hoje não tenho mais vergonha de ir à praia e molhar meu cabelo. Tenho a liberdade de sair com os cabelos molhados, se estiver atrasada. Consigo ir a restaurantes e frequentar ambientes iluminados sem preocupar-me com os olhares das pessoas. Sinto-me bem, realizada e pronta para conquistar o meu melhor, em minha nova vida.

Marcela Pignatari

Responder

Seu email não será divulgado.