Entenda como nossos clientes com vários tipos de alopecia resgataram a autoestima com a Tricosalus!

Entenda como nossos clientes com vários tipos de alopecia resgataram a autoestima com a Tricosalus!

A alopecia, popularmente chamada de “calvície”, é um processo fisiológico que leva à queda ou à perda prematura dos cabelos sem que haja uma renovação posterior. A condição, que atinge tanto os homens quanto as mulheres, é um dos principais motivos para a consulta dermatológica. No entanto, antes de escolher um tratamento para controlá-la, é importante conhecer seus diferentes tipos.

O que é e quais são os tipos de alopecia?

A alopecia — isto é, a perda patológica dos cabelos — pode ser classificada de acordo com a sua origem e grau de manifestação. Normalmente ela é dividida em dois grandes grupos: cicatricial e não cicatricial. Veja as diferenças e alguns exemplos.

Cicatriciais

As alopecias cicatriciais são caracterizadas pela perda irreversível dos folículos pilosos e pela necessidade de tratamento cirúrgico. Via de regra, há indícios de destruição dos tecidos, com inflamação e atrofia. De acordo com a North American Hair Research Society, elas são classificadas em três grupos: linfocítico, neutrofílico e misto. Desses, os tipos mais comuns são:

  • líquen plano pilar;
  • alopecia frontal fibrosante;
  • lúpus.

Não cicatriciais

São as alopecias adquiridas, caracterizadas pela perda de cabelos ou pelos sem que haja atrofia cicatricial – sinais de inflamação, fibrose ou atrofia tecidual. Podem estar relacionadas a alterações hormonais e sazonais, deficiências nutricionais, traumatismo, autoimunidade, fármacos e estresse. Os tipos mais comuns são:

  • androgenética;
  • areata;
  • de tração;
  • tricotilomania (hábito de arrancar os fios).

Apesar de estarem classificadas no segundo grupo, as duas últimas também podem se tornar cicatriciais. De todas, a mais comum é a alopecia androgenética, que também é chamada de calvície comum: ela é responsável por 95% dos casos de alopecias não cicatriciais, seguida do eflúvio telógeno.

Por que é importante tratar a alopecia?

O cabelo é um elemento que diz muito sobre as pessoas. Ele molda o rosto e transmite personalidade. Quando seu crescimento ou apresentação é afetado/a, a maioria das pessoas sente vergonha e fica abatida, o que acaba diminuindo a sua autoestima e causando constrangimento em público, entre diversos outros problemas de ordem psicológica e emocional que podem ser desencadeados.

Com o tratamento, o cabelo volta a crescer e o paciente se sente mais confiante. Consequentemente, ele melhora o seu comportamento no trabalho e nas relações pessoais. Por isso, é importante buscar ajuda profissional o quanto antes. Quanto mais precoce for o tratamento, maiores serão as chances de sucesso.

Outro ponto importante a ser considerado é o comprometimento da saúde associado à queda dos fios, uma vez que a falta de cabelos no couro cabeludo deixa essa região mais vulnerável à radiação solar, aumentando a chance de se desenvolver câncer de pele.

Como os tratamentos da Tricosalus ajudam a combater a alopecia?

Há 40 anos a Tricosalus trabalha com tratamentos capilares. Quatro dos seus tratamentos são específicos para combater a alopecia: desintoxicante, estimulante, reequilibrante e Sistema CNC. A indicação do tratamento varia de acordo com as especificidades de cada paciente. Por isso, ele é personalizado e pautado na precisão do diagnóstico médico.

Vale ressaltar que a Tricosalus conta com o Health Lab Center dentro da clínica, o que torna muito mais ágil a realização de todos os exames solicitados pelo médico para que seja feito o diagnóstico, além de oferecer muito mais conforto e comodidade ao paciente.

Como a Tricosalus transformou a vida do empresário Alessandro Corona?

Imagine enfrentar a calvície no auge da juventude: aos 18 anos de idade! Pois foi exatamente o que aconteceu com o empresário italiano Alessandro Corona. Na época, ele praticava windsurf e passava horas com o couro cabeludo em exposição ao sol, ao vento e ao mar. O efeito foi que, somados, esses fatores e os constantes movimentos de queda na água deixaram essa região fraca e suscetível à queda dos fios.

Com o tempo, o empresário percebeu que os raios solares estavam queimando o couro cabeludo. Então, aos 24 anos, ele iniciou a sua busca por soluções capilares. Utilizou alguns fármacos com efeitos paliativos, mas acabou recorrendo à cirurgia de implante capilar com fios sintéticos. O resultado não foi satisfatório, pois os fios tinham uma aparência estranha e, com o tempo, começaram a cair.

Foi nessa ocasião que Alessandro conheceu o sistema CNC — Capelli Naturali a Contatto —, um método italiano não cirúrgico que consiste na reconstrução do couro cabeludo. E o resultado foi surpreendente: em 10 meses venceu a calvície, recuperou a autoestima e melhorou a sua performance na área comercial.

E mais: recebeu uma proposta para trabalhar no Brasil e identificou que, apesar de os brasileiros estarem constantemente preocupados com a aparência, o Sistema CNC ainda não existia no país. Foi aí que surgiu a Clínica Tricosalus, cujo dono é a prova da credibilidade e da eficácia dos tratamentos oferecidos.

Outros casos inspiradores

O arquiteto Anderson Belucci também teve um resultado satisfatório com o Sistema CNC, após várias tentativas frustradas com medicamentos e implantes. O mesmo aconteceu com a atriz Marcela Pignatari, que começou a perder os cabelos aos 16 anos de idade, devido a uma cirurgia de apendicite e estresses traumáticos. Na busca pela recuperação da autoestima, ela usou mega hair, o que agravou o problema. E foi com o Sistema CNC que ela não só recuperou as esperanças, como também encontrou a solução definitiva.

Até quem tinha a genética influenciando na calvície, como o empresário Rafael Esteves, ficou contente com o resultado. Ele fez o tratamento reequilibrante e pôde constatar resultados positivos com um mês. Ou seja, há vários casos inspiradores, desde pacientes que sofreram queimaduras a mulheres com alopecia androgenética. Atualmente, todos estão satisfeitos com a saúde e os cabelos em ordem.

Agora que você já sabe quais são os tipos de alopecia, responda: você apresenta algum sintoma? Se identificar um ou mais sintomas e eles forem recorrentes, vá ao dermatologista ou tricologista — médico especialista em cabelos e couro cabeludo — o quanto antes. Se necessário faça exames (como o Tricotest) e, uma vez diagnosticada a causa da queda de cabelo, procure um tratamento adequado.

Precisa de uma ajuda profissional? Entre em contato conosco e recupere a sua saúde e autoestima!

Responder

Seu email não será divulgado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.