Como tratar da saúde do cabelo oleoso?

Como tratar da saúde do cabelo oleoso?

Lidar com o cabelo oleoso, sem os cuidados ideais, é conviver com mechas de aspecto pesado e sem vida. A produção excessiva de sebo pode prejudicar seriamente a autoimagem e a confiança de quem vivencia diariamente essa situação, afetando seu comportamento pessoal e até mesmo profissional.

Um dos dilemas de quem tem esse tipo de fio é acertar nos cuidados para manter a saúde capilar, sem ressecar ou potencializar a quantidade de óleo no cabelo.

Se cuidar corretamente dele é o seu objetivo, não deixe de conferir este miniguia sobre o cabelo oleoso. Anote as dicas e boa leitura!

Em primeiro lugar, saiba reconhecer seu tipo de cabelo

Isto porque o excesso de óleo nos fios não é um dilema universal. Afinal, nem todos têm a mesma estrutura e tipo de cabelo, que pode ser classificado em:

  • cabelo misto: as principais características desse perfil são a raiz oleosa e as pontas que podem ser secas ou normais. Cabelos mais longos têm mais chances de assumir essa condição, já que a oleosidade e os nutrientes não chegam até as pontas;
  • cabelo seco: possui fios mais porosos e sofre com a falta de oleosidade — essencial para a saúde do couro cabeludo. Por essa condição, quem tem esse tipo de cabelo geralmente se queixa de volume excessivo, falta de balanço, frizz constante e  dificuldade de pentear;
  • cabelo oleoso: contrariamente ao fio seco, o cabelo oleoso apresenta mechas mais finas que se tornam pesadas, sem volume e com excesso de brilho. Todas essas características são derivadas da oleosidade excessiva produzida pelo couro cabeludo.

Como você pôde perceber, cada formação capilar tem uma necessidade específica. Sendo assim, se seu objetivo é diminuir a oleosidade dos fios, é preciso, antes de qualquer coisa, conhecer e entender qual é o seu principal gatilho.

Entenda o que é oleosidade capilar

Embora uma primeira observação do cabelo oleoso possa nos levar à conclusão de que o óleo é algo ruim por si só, isso não é verdade, pois, por mais que a oleosidade possa incomodar no dia a dia, ela não é prejudicial aos fios: trata-se de um óleo natural produzido no couro cabeludo, sendo que a sua principal função é proteger todo o cabelo contra a queda, a poluição etc.

O que ocorre é que, quando produzido em excesso, esse óleo se torna incômodo não apenas para o visual, mas também por dar origem às caspas, às dermatites e até mesmo à queda de cabelo.

Além dos fatores externos — água quente e excesso de cremes, por exemplo — estarem entre as principais causas que fazem com que a oleosidade se multiplique e ultrapasse a sua quantidade natural, outro destaque está associado à hiperatividade das glândulas sebáceas devido a disfunções endócrinas, sendo que os fatores genéticos também merecem atenção nesse caso.

Descubra como tratar o cabelo oleoso

O controle da produção de óleo é imprescindível para a saúde do seu couro cabeludo. Por isso, após identificar que seu tipo de cabelo é oleoso, é preciso investir no tratamento adequado.

1. Lave corretamente

Cabelo oleoso não é sinônimo de falta de higiene, e lavá-lo excessivamente acaba piorando a situação. Portanto, é importante observar as necessidades dos fios e nunca os expor ao contato com a água quente, tampouco usar as unhas no processo de lavagem, mas, sim, as pontas dos dedos para massageá-lo.

Ao negligenciar essa etapa, é possível que o couro cabeludo produza ainda mais óleo como forma proteção.

2. Use os produtos indicados

Busque por composições naturais e com menos sódio. Nesse sentido, ler o rótulo dos cremes e shampoos ajudará muito a promover a saúde do cabelo.

Além disso, não deixe de hidratar o cabelo oleoso, pois ele também precisa ser nutrido. Para tanto, invista em cremes finalizadores leves, e nunca os aplique na raiz.

3. Evite dormir com o cabelo molhado

Dormir com cabelo molhado nunca é saudável, pois cria um excelente ambiente para a proliferação de fungos causadores de doenças. Por isso, ao lavar os cabelos à noite, seque os fios com o secador, mantendo a distância de 10 cm entre eles, e penteie-os com cuidado.

Essas são apenas algumas dicas, mas vale lembrar que, conforme registramos mais acima, a oleosidade pode ser desencadeada por outros fatores. Portanto, como forma de prevenção – e, claro, também de tratamento –, consulte um médico especialista em tricologia e patologias do couro cabeludo para que ele possa orientá-lo(a) ainda mais assertivamente em relação a esse problema!

Responder

Seu email não será divulgado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.