Cabelos crespos: mitos e verdades sobre os cuidados com o couro cabeludo

Os fios de cabelo, independente de sua cor ou características anatômicas, têm em comum a queratina como principal componente estrutural, mantendo semelhanças bioquímicas quando se trata da composição. Sejam lisos, ondulados ou crespos, características determinadas por fatores diversos e que podem sofrer pequenas variações ao longo da vida, os cabelos têm essa tendência pré-determinada geneticamente. Neste artigo você vai conferir algumas questões específicas sobre os cuidados com o cabelo crespo.

Esse tipo de cabelo tem uma tendência natural à oleosidade devido ao formato da fibra capilar, que dificulta a distribuição do sebo produzido no couro cabeludo ao longo dos fios. Essa característica resulta no acúmulo de oleosidade na raiz e pode deixar uma aparência desagradável. Por isso, o cabelo crespo oleoso exige cuidados especiais para equilibrar a hidratação e amenizar o problema.

Confira agora algumas das principais dúvidas sobre os cuidados com cabelos crespos!

Cabelo crespo precisa de mais hidratação que cabelos lisos?

cabelo crespo mitos e verdades sobre os cuidados capilaresQuando se trata da hidratação, a diferença entre fios lisos, cacheados ou crespos é muito importante. Nos cabelos lisos, devido ao formato da fibra, a oleosidade natural produzida no couro cabeludo flui ao longo dos fios. Isso forma uma camada lipídica em toda a extensão da fibra capilar e, consequentemente, mantém a hidratação por mais tempo.

Como dito anteriormente, nos cabelos crespos a oleosidade tem mais dificuldade para percorrer a fibra capilar e os fios acabam perdendo água com facilidade, tornando-se naturalmente menos hidratados. Por isso, as hidratações devem ser feita pelo menos semanalmente, para manter os cachos bonitos e bem estruturados.

Algumas práticas, como lavar os cabelos com água fria ou morna, ajudam a proteger o cabelo e mantém um pouco da oleosidade natural no couro cabeludo, essencial para o crescimento saudável. Além disso, a água quente pode ressecar os fios e irritar os folículos pilosos, estimulando ainda mais a produção de óleo natural.

Crespo é mais suscetível à dermatite seborreica?

Para responder esta pergunta, precisamos retornar ao item anterior. Por concentrar a oleosidade próxima às raízes, esse tipo de cabelo é mais propenso ao desenvolvimento da dermatite seborreica. Caso o couro cabeludo seja, naturalmente, muito oleoso, o acúmulo dessa oleosidade pode resultar nas famosas caspas.

Outro fator que pode levar a esse quadro é o excesso de produtos capilares. Para fazer hidratação e no pós-banho, o uso frequente e excessivo de cremes leave-in, cremes para pentear e óleos pode resultar na caspa oleosa.

Há ainda outra situação comum. Na tentativa de limpar o couro cabeludo, o excesso e a fórmula de alguns produtos, como os xampus de limpeza profunda, levam ao ressecamento do couro cabeludo, desestabilizando o quadro saudável.

O alisamento resolve o acúmulo de oleosidade?

Considerando a lógica que os fios lisos distribuem melhor a oleosidade do couro cabeludo, o alisamento vai resolver este problema no cabelo crespo? Não! Apesar de remodelar os fios, estes processos de alisamentos e chapinhas são altamente químicos e danosos para o cabelo.

Todos esses procedimentos e produtos ressecam excessivamente os fios e os deixam quebradiços. Outro perigo existente é em relação ao princípio ativo utilizado. De acordo com os órgãos regulamentadores, o tioglicolato de amônio, os hidróxidos de sódio, de potássio, de cálcio, de lítio e o carbonato de guanidina são substâncias autorizadas para alisamentos. Portanto, lembre-se de pedir ao cabeleireiro que informe os produtos utilizados e verifique se eles têm permissão para comercialização.

Outro componente dos alisamentos, cuja proibição pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) foi amplamente discutida na mídia, é o formol. Essa solução química é considerada pela Organização Mundial da Saúde como cancerígena, sendo permitida num índice de até 0,2%. Nesse nível, o formol atua como conservante, mas sem alterar a efetividade do alisamento.

Mais esclarecimentos

Essas são algumas questões frequentes quando o assunto é cuidados com o cabelo crespo. Agora que esclarecemos esses pontos, você está mais seguro para os cuidados com seus fios, certo? Porém, lembre-se que, mesmo com textos que tiram dúvidas e dão dicas sobre saúde capilar, procurar um médico é essencial. Consulte-se com um dermatologista com conhecimento em tricologista, esses profissionais são especializados na saúde capilar, capazes de indicar os melhores tratamentos e cuidados para seu caso.

Mesmo com esse artigo, você ainda tem dúvidas sobre cuidados com o cabelo crespo? Deixe sua pergunta nos comentários e nós lhe respondemos!

Responder

Seu email não será divulgado.