Aerógrafo: equipamento revoluciona tratamento contra a calvície

Aplicando medicamentos junto ao gás pressurizado, esta ferramenta traz mais praticidade e eficiência para combater a queda de cabelo

aerógrafo contra queda de cabelo tricosalusO aerógrafo é uma ferramenta de pulverização proveniente de uma fonte de gás pressurizado que recentemente começou a ser aplicada no tratamento contra a calvície.

Este equipamento contém um gatilho que controla o jato de ar, projetando-o especificamente no local desejado. Mas como será que ele ajuda a combater a queda de cabelo?

Semelhante a uma “caneta de ar”, este instrumento utiliza oxigênio comprimido associado aos medicamentos adotados para tratar a calvície. A junção do gás pressurizado às substâncias permite uma penetração mais profunda nas camadas da pele, potencializando os resultados do tratamento.

Os procedimentos contra queda de cabelo existem há muito tempo, mas o uso do aerógrafo é algo bem mais recente. Sem ele, essas mesmas medicações seriam aplicadas no formato de loções tópicas (aplicadas diretamente na cabeça) ou através de injeções no couro cabeludo.

Mecanismo de atuação

A associação entre as medicações para calvície e o oxigênio pressurizado é essencial para um tratamento mais eficiente e rápido. E como este processo acontece no nosso corpo?

Depois de misturados o oxigênio pressurizado e o remédio para queda de cabelo, ainda dentro do aerógrafo, o equipamento lança as substâncias no couro cabeludo como um borrifador.

A penetração é mais eficiente pelas camadas da pele, já que o gás pressurizado atua como um “promotor de absorção” e altera a resistência natural do estrato córneo – a camada mais externa da pele – na região onde foi aplicado.

Como funciona o aerógrafo?

aerógrafo contra queda de cabelo tricosalusNos tratamentos contra queda de cabelo, usamos princípios ativos, como os encontrados no Rubexplus e Climbaxplus, em aerógrafos de dupla ação cujo funcionamento tem operação à gravidade e mistura interna. Ele tem como característica o compartimento para medicação acima da pistola, de onde a substância do tratamento é retirada para mistura na câmara interna antes de ser impelido no couro cabeludo do paciente.

Por ser de dupla ação, o aerógrafo libera o ar pressurizado quando o gatilho é pressionado e, para regular a emissão dos remédios, é preciso empurrar/puxar o gatilho para trás enquanto o mantém pressionado (primeira ação).

Desta forma, temos mais controle do fluxo de medicação, regulando os jatos tanto em espessura, quanto no volume. Ou seja, é possível escolher entre jatos muito finos e preenchidos ou mais esparsos.

Quais tratamentos usam o aerógrafo?

Como já falamos diversas vezes aqui no blog da Tricosalus, vários desequilíbrios do organismo podem levar à queda de cabelo. Por isso, existem múltiplos tratamentos e remédios, que são definidos depois de identificada a causa da queda dos fios.

O aerógrafo é usado para acelerar e aperfeiçoar tratamentos da alopecia androgenética, mas também pode ser utilizado para reforçar tratamentos que visam fortalecer o bulbo capilar.

Porém, antes de começar as aplicações dos medicamentos com aerógrafo, é preciso fazer uma desintoxicação do couro cabeludo. Essa ação é importante para retirar possíveis microrganismos, como fungos e bactérias.

Feita a limpeza, o couro cabeludo poderá absorver melhor os ativos liberados junto ao oxigênio pressurizado do aerógrafo.

Como reconhecer a alopecia androgenética?

Popularmente conhecida como “calvície hereditária”, esta é a calvície de padrão clássico. Ainda que seja predominante entre os homens, esse tipo de alopecia também provoca queda de cabelo nas mulheres. O quadro é caracterizado pela predisposição genética de cada indivíduo para a perda acentuada dos fios.

Nos homens, a alopecia androgenética se manifesta em regiões específicas do couro cabeludo. Geralmente atinge primeiro os fios da parte superior da cabeça, raramente chegando à nuca.

Já nas mulheres, esta perda é difusa, ocorrendo ao longo de todo o couro cabeludo. Essa disfunção resulta na perda de volume do cabelo e no menor comprimento dos fios.

O principal causador dessa alopecia é o hormônio dihidrotestosterona (DHT), derivado da testosterona. Quem tem predisposição genética para alopecia costuma ter o receptor hormonal do DHT alterado, fazendo com que a atuação desse hormônio cause um afinamento progressivo dos fios, desencadeando a perda excessiva.

Apesar de algumas características indicarem o quadro da alopecia androgenética, a consulta com um dermatologista/tricologista é indispensável para que haja um correto diagnóstico médico de cada quadro. Fazer tratamentos inadequados para a sua causa da queda de cabelo pode atrapalhar a real resolução da sua situação.

Responder

Seu email não será divulgado.