13 dicas para diminuir a queda de cabelos

A queda de cabelo é um assunto que preocupa tanto homens quanto mulheres. E não é para menos, pois a perda de fios em excesso é um sinal de que algo não anda bem e é preciso investigar. Afinal, existem várias causas para esse problema e elas estão associadas a fatores distintos.

Para você que está passando por isso e já se perguntou o que fazer para diminuir a queda de cabelo, preparamos este artigo com algumas dicas para ajudar nessa tarefa — mas lembre-se de consultar um médico especialista em tricologia e patologias do couro cabeludo ao notar qualquer alteração, certo? Confira!

Como saber se a queda é normal?

A dúvida mais frequente que os especialistas costumam ouvir é: “é normal cair cabelos todos os dias?”. E a resposta para esse dilema é: depende. Isso porque a queda de até cerca de cem fios por dia é considerada normal. E pode acontecer, por exemplo, durante o processo de lavagem e escovação dos cabelos.

No entanto, uma queda excessiva pode significar uma disfunção no organismo, que precisa ser analisada por um profissional especialista em tricologia e patologias do couro cabeludo.

Quais as possíveis origens desse problema?

A queda de cabelo pode estar ligada a diversos fatores. Em alguns casos, a perda dos fios está relacionada aos fatores genéticos, como a alopecia androgenética — termo médico usado para a calvície hereditária.

Apesar de a maioria dos casos ter início na juventude, a alopecia androgenética pode ocorrer em qualquer idade e acometer tanto o sexo feminino quanto o masculino. Em mulheres, costuma ser mais difusa, com sensação de cabelos finos.

Já nos homens, geralmente as laterais e a nuca são preservados, com padrão clássico de perda na parte superior do couro cabeludo. Porém, não são só os fatores genéticos que levam à queda, pois o problema pode ser adquirido. Confira algumas dessas causas:

  • problemas nutricionais que englobam desde a deficiência até o excesso de vitaminas e minerais. As dietas rígidas e perda de peso significativa também levam à falta desses nutrientes;
  • danos aos fios que incluem excesso de química, banhos quentes e excesso de força no manuseio do cabelo;
  • remédios e tratamentos como a quimioterapia e radioterapia podem afetar o cabelo;
  • doenças como micoses e diabetes, que são alguns exemplos;
  • distúrbios psicológicos como o estresse emocional e transtornos alimentares;
  • causas naturais que envolvem o envelhecimento.

Para as mulheres em particular, período menstrual, gravidez, uso de anticoncepcionais, menopausa e Síndrome do Ovário Policístico também viabilizam a queda.

O que fazer para diminuir a queda de cabelo?

Veja, abaixo, 13 dicas para diminuir a queda!

1. Controle a oleosidade do couro cabeludo

A oleosidade excessiva do couro cabeludo pode levar ao quadro de inflamação — dermatite seborreica, popularmente conhecida como caspa — e, consequentemente, à queda dos fios. Ao lavar o cabelo, utilize água morna, pois a quente desencadeia uma maior produção de sebo e leva ao aumento na oleosidade da raiz.

Também não passe o condicionador na raiz do cabelo, pois isso aumenta a oleosidade e a umidade do couro cabeludo, o que facilita a produção da caspa.

2. Mantenha uma boa alimentação

O processo de crescimento dos fios demanda quantidades adequadas de minerais, como o ferro, vitaminas e proteínas. Quando seguimos dietas rígidas ou desreguladas, a deficiência desses nutrientes pode causar a fragilidade do fio e, consequentemente, a sua queda.

Portanto, é importante manter uma dieta equilibrada para que se tenha uma boa saúde capilar.

3. Procure um especialista em caso de disfunções hormonais

Problemas nas glândulas endócrinas, como tireoide, hipófise e suprarrenal, podem comprometer os cabelos. Muitas doenças endócrinas, como o hipotireoidismo, podem, inclusive, ter como primeira manifestação clínica a queda acentuada dos fios.

Mesmo uma disfunção durante o período menstrual, como irregularidade do ciclo ou fluxo menstrual aumentado, pode indicar alteração na quantidade de hormônios no organismo.

Sendo assim, torna-se fundamental a avaliação de um médico especialista em tricologia e patologias do couro cabeludo em caso de queda acentuada dos cabelos, para que ele determine possíveis disfunções correlacionadas, por meio dos exames de sangue.

4. Escove os cabelos corretamente

Pentear os cabelos deve ser um ato feito com cuidado, para diminuir a quebra dos fios. Evite escová-los quando ainda estiverem molhados, uma vez que o fio, ainda úmido, quebra com mais facilidade. Seque-o com uma toalha sem esfregar. Já seco, o pentear deve ser suave, sem puxá-los com muita força.

5. Evite o uso da chapinha

A chapinha (ou prancha) e o babyliss danificam a estrutura do fio, aumentando a fragilidade e portanto, a quebra. O ideal é que os cabelos sequem soltos e naturalmente. No caso de usar o secador, mantenha o aparelho a, pelo menos, 30 centímetros de distância da cabeça, e em temperatura morna.

6. Tenha cuidado com o uso de bonés e chapéus

Os bonés e chapéus não provocam a calvície. Porém, por manterem o couro cabeludo abafado, o indivíduo corre o risco de que a peça desencadeie a dermatite seborreica, com consequente aumento da queda dos fios.

7. Evite penteados que tensionam o cabelo

O uso de penteados como o rabo de cavalo, quando feito com maior tensão, causa uma quebra superior dos fios, além de levar a uma possível perda definitiva dos cabelos — alopecia de tração.

A alopecia de tração é mais observada pelo avanço da linha de implantação dos cabelos, causando uma impressão de aumento da fronte (testa). Outro cuidado ao se prender o cabelo é não fazer isso enquanto eles estão molhados, pois essa ação pode levar à dermatite seborreica e aumentar a queda.

​8. Tenha uma vida com menos estresse

Quando se está sob o efeito do estresse, o organismo acelera a produção de uma substância chamada cortisol, que pode aumentar a queda dos cabelos. Além disso, o estresse também tem a capacidade de agravar quadros de dermatite seborreica, o que também colabora com o aumento da queda.

Assim, sempre que possível, procure reavaliar sua rotina, incluindo hábitos saudáveis, como a prática de exercícios físicos.

9. Evite o cigarro

Entre as substâncias químicas presentes no cigarro, existem diversas consideradas tóxicas para a saúde do indivíduo e dos cabelos. O cigarro também diminui a irrigação do couro cabeludo, o que prejudica a nutrição dos fios.

10. Suspenda o uso de produtos químicos nos cabelos

A escova progressiva, definitiva ou similar são procedimentos químicos agressivos à estrutura do fio do cabelo, tornando-o mais frágil e suscetível à quebra. Dessa forma, o contato do produto pode levar ao aumento da queda por irritação do couro cabeludo.

O formol, substância utilizada na maioria dos produtos para esse fim, é sabidamente prejudicial à saúde, podendo aumentar a chance de se desenvolver câncer.

11. Balanceie a absorção de vitaminas e minerais

Já falamos como esses nutrientes são importantes e, por causa disso, devem ser consumidos na quantidade necessária para cada pessoa. Isso porque a falta deles (principalmente Zinco e Ferro) ou o excesso (dando ênfase para a sobrecarga de vitaminas A,C e E) podem agravar o problema capilar.

12. Fique atento ao seu intestino

Os planos de manter uma dieta saudável e consumir a quantidade certa de vitaminas e minerais para manter os fios saudáveis podem falhar se o intestino não conseguir absorver esses nutrientes tão necessários ao cabelo. E isso é o que pode ocorrer em casos de inflamação intestinal. Por isso, é preciso ficar de olho!

13. Faça um check-up com um especialista

A dica de que “prevenir é melhor do que remediar” nunca cai em desuso. Afinal, mesmo cuidando da sua nutrição e saúde, seu problema pode ser calvície hereditária — e, nesse caso, o diagnóstico prematuro é um grande aliado.

Portanto, se você sentir que seus fios estão afinando ou caindo mais do que o recomendado para um dia, é o momento de procurar um médico especialista em tricologia e patologias do couro cabeludo. A clínica Tricosalus conta com médicos e profissionais preparados para orientar você e indicar a melhor maneira de lidar com esse dilema e resolvê-lo.

Viu só? Queda capilar é um problema sério e que deve receber um tratamento adequado o quanto antes, pois o cabelo é um aliado da nossa imagem e não deve ser negligenciado.

Seja qual for o caso (queda ou rarefação dos cabelos), o acompanhamento de um especialista é essencial para determinar as causas e indicar o melhor tratamento. Afinal, ninguém melhor que ele para solucionar suas dúvidas sobre o que fazer para diminuir a queda de cabelo!

Responder

Seu email não será divulgado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.